Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CC(As carquejeiras II)

Sobre esta extinta profissão desenvolvemos aqui em 20/11/2014 um post onde lembrava a odisseia destas trabalhadoras a que aos olhos de hoje podemos dizer que eram escravas do trabalho.

O caro amigo Maurício Branco ao ler o meu arrazoado não perdeu tempo, deu-me umas dicas sobre as carquejeiras. Sugeriu-me então a leitura do livro “Humildes que trabalham” de 1939, autor Armando Gonçalves que foi jornalista no Primeiro de Janeiro. Fez o favor de me telefonar a pôr-me à disposição a brochura referida onde trata das carquejeiras e de outros ofícios desaparecidos.

Dizia eu no referido post que havia uma vaga de fundo de gente interessada pela feitura de uma estátua a essas mulheres no cimo da Calçada das Carquejeiras, antiga Corticeira, onde o suor lhes escorria da cabeça para os pés, estava no ar.

Ontem no JN é noticiado o anúncio dessa estátua a colocar em 2015, com imagem já elaborada do escultor. E dizia-se que o projecto dessa homenagem era ontem anunciado na Junta do Bonfim com a presença da última carquejeira viva com 94 anos. Ora aqui parece-me que há um desfasamento de notícia pois que o mesmo JN dizia em 16/9/2014 que tinha morrido a última carquejeira com 102 anos.

Vamos então querer registar fotograficamente essa merecedora estátua em 2015.

 

Ver: http://cadernosdalibania.blogspot.pt/2014/11/homenagem-as-carquejeiras-do-porto.html

  (antonio)

4 comentários

Comentar post