Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Encontrar um"Palito" num palheiro e pedofilia

 

É notório que as forças de segurança gostam de publicitar com euforia, nos meios de comunicação social, o trabalho que desenvolvem. Mas eu acho que mais valia que fizessem o melhor possível sem dar nas vistas, trabalho silencioso.

Cavalaria foi à procura do homicida “Palito” lá para os lados de S. João da Pesqueira, esta foi a última mostragem de serviço que até à data deu em nada. Mais valia que tudo fosse feito à revelia dos holofotes, mais profícuo é o trabalho de formiga do que a cigarra fanfarrona.

 

 

Já por aqui disse que a Igreja funciona em termos de imagem como os partidos políticos. Gosta de mostrar serviço como no caso anterior.

No JN de 6/5/2014 “O Vaticano assegurou anteontem que os casos de pedofilia no clero estão em declínio e que este facto deve ser reconhecido”, e continua “a tendência mostra que as medidas adoptadas nos últimos dez anos pela Santa Sé e pelas Igrejas a nível local têm resultados positivos…”, disse Silvano Tomasi (estive a ver na NET, este senhor é representante do Vaticano na ONU).

O meu comentário a isto, considero uma abertura de boca pouco feliz deste senhor nos termos em que falou. Mas também se viesse dizer que a pedofilia no clero tinha sido erradicada eu não acreditava. Se a pedofilia é uma coisa pérfida no meio civil, no seio eclesiástico ela nunca, mas mesmo nunca devia existir. Não me venham os defensores, como este senhor, dizer que as coisas estão a melhorar, pois isso não chega. A montante está sempre o celibato(?) sacerdotal que poderá eventualmente favorecer estes desvios comportamentais.

 

    (antonio)