Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Demografia, ontem e hoje

Referi aqui há dias a desertificação do interior do país com a demografia em curva descendente. Por outro lado dava exemplos de varões de prima tonsura, com votos de castidade jurados a pé juntos, mas que tinham sido pródigos no passado a contribuir factualmente para a natalidade.

 

Em 1943 o célebre escritor Aquilino Ribeiro no seu livro “O VOLFRÂMIO”, que embora seja um romance, retrata a forte natalidade da época na região da Beira Alta. Veja-se o que diz num diálogo entre dois protagonistas:

 

“… o que se encontra à farta por essas famílias é fome e lêndias. Assim mesmo, e não é fácil que possa ser de outra maneira, quer ouvir porquê? Porque há gente a mais. O povinho cresce à desmedida, de tal jeito que quando se quer fazer uma novena aparece miudagem para uma procissão...”

 

Pode-se concluir deste naco de prosa de Aquilino Ribeiro a pobreza que grassava nesses anos do salazarismo. Mas também não podemos esquecer que em face da forte natalidade o governo de Salazar construiu escolas em todos os recantos do país onde havia crianças. Agora como se sabe os casais têm poucos filhos ou nenhuns e daí as tais escolas do tempo do Salazar estão a fechar o que vai também contribuindo para a desertificação do interior.

 

 

     Ant.Gonç.(antonio)

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.