Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

As longas carreiras contributivas

Em www.rr.sapo.pt

 

"O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, a segunda fase da despenalização das longas carreiras contributivas. Deste modo, mais contribuintes poderão aceder à reforma sem penalização."

 

Esta notícia sobre as longas carreiras traz-me à memória uma coisa muito interessante. Já muito pouca gente se lembra do tempo em que aos 9 ou 10 anos, terminada a quarta classe de então, os pais pagavam para os filhos aprenderem "uma arte". Terminada a escolaridade obrigatória de então, era ver quem conseguia arranjar uma oficina de reparação de automóveis para onde o filho fosse aprender a arte de mecânico. Era ver as mães que conseguiam arranjar uma "modista", atual estilista, onde a dona deixasse ir a filha aprender a arte da costura. Muitas outras artes e ofícios poderia invocar mas todos conseguimos, sem esforço, adivinhar quais. Mas o mais importante ainda não foi dito: o que os pais pagavam por semana aos que aceitavam ter esses aprendizes era cinco coroas, ou dois escudos e cinquenta centavos, ou, na atual moeda, um cêntimo e meio.