Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Pela ruralidade - CXXXVII(matanssa do porco)

Conforme o título em epígrafe há pessoas que têm por hábito registar o que dia a dia vão fazendo, é aquilo a que se pode chamar “diário”.

- malha do milho

- meia bara de sebolo

- sacha do milho

- vendi uma uvelha por 400#00

- vendi os alhos por 60#00

- naseram os pintos

- galinha no xoco

- morreu o sr. Arnesto Madorago

- nasceo uma toura

- bareija das noses no Redondelo

- fazão da Ribeira 11 alqueiras

- feito o vinho no Redondelo

- comprei 2 K de arros 14#60

- tosquia das uvelhas

- botou-se o sulfato

- um carro de mato para os porcos

Esta é uma pequena amostragem dos registos que minha mãe ia fazendo nas agendas que no princípio de cada ano fazia questão de comprar. O Seringador também adquirido mas para leitura das luas, das sementeiras, do tempo que pontualmente iria fazer, da época das enxertias, enfim coisas que não eram estranhas à tarimba dos agricultores. A compra do Seringador, reportório crítico-jocoso e prognóstico, era mais uma tradição que vou mantendo em memória dos meus pais.

Hoje a vida é outra, voltando ao princípio deste arrazoado, há outras ferramentas nomeadamente redes sociais, onde muitos espalham as suas vivências diárias, veja-se o facebook, embora aqui a partilha seja pública. Nos diários havia a privacidade.

 

PS: Mantive a originalidade da escrita nos "diários", agendas.

 

 

  Ant. Gonç. (antonio)

2 comentários

Comentar post