Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CLXIII(O Douro a engordar!...)

 

 

Eu gosto de ver o rio Douro gordo. Dito assim até pode parecer que sou insensível aos prejuízos que possam advir para os moradores e comerciantes das zonas ribeirinhas como na Ribeira do Porto, mas não.

No Egipto o Nilo era abençoado quando saía para fora do leito e inundava as terras que ficavam férteis, entre nós não é bem assim.

Após uma noite sempre a esgalhar e nos dias anteriores também foi um ver se avias a cair do céu, o Douro começou a engrossar. Hoje na parte de tarde já o Postigo do Carvão, no Cais da Estiva, estava inundado. É a única porta das muralhas Fernandinas que escapou ao odioso camartelo, passe a figura de estilo.

Andei hoje pela Praça da Ribeira, era como se fosse um estrangeiro entre tantos turistas de máquinas em punho a debitarem francês, espanhol, inglês e outras línguas que não identifiquei. Os comerciantes das tascas da zona (nome figurativo) ao verem o rio a 1 metro de saltar para a rua, estavam impacientes, até porque havia informações que mais água viria lá de cima da Régua.

Mas voltando ao início do post quero agora dizer que gosto de ver o Douro gordo pois que a sua obesidade arrasta toda a sujidade das margens, é uma purgação benéfica para o ambiente, assim penso, depois o imenso mar se encarregará de tudo triturar.

 

  PS: Na imagem o "Postigo do Carvão" com os pés molhados. Quando o Douro começa a engordar a água entra pelo "postigo" que fica a cota inferior ao cais da Ribeira. Era aqui a principal entrada para a cidade murada a partir do rio.

 

 

     Ant.Gonç. (antonio)

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post