Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CLIV(O Cerco)

Vou começar esta pequena crónica, já que me falta substância, à boa maneira de alguns média, que nos presenteiam com crimes de faca e alguidar. Pelo que se tem visto é sobretudo no meio familiar que casos dramáticos acontecem como o que vem hoje no JN com gente conhecida  de casa abrasonada de Braga. São casos transversais que sucedem quer com gente do pé rapado como do colarinho branco.

Dirigindo o olhar para a nossa história, dois irmãos, D. Miguel e D. Pedro desentenderam-se e engalfinharam-se em luta fratricida.  O primeiro absolutista e o segundo de ideias liberais colocaram a cidade do Porto a ferro e fogo.

Hoje o passeio histórico à cidade com Germano Silva estava programado para ir a alguns morros à volta da cidade onde as baterias dos liberais se posicionaram. Com pena minha não pude participar, uma ligeira gripe reteve-me. Naquela altura, século XIX a cidade não ia além do Marquês, Antas e Bonfim. O cerco à cidade pelos absolutistas durou um ano que causou toda a sorte de privações. Com a vitória dos liberais, os bravos do Mindelo, D. Pedro IV foi reconhecido pelo povo do Porto que lhe ergueu uma imponente estátua equestre no sítio mais nobre da cidade, a Praça.

 

 

    (antonio)

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.