Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CXVIX (Cultura da cidade)

Copo meio cheio ou meio vazio é assim visto por um lado ou por outro, à vontade do freguês, como se diz.

 

Lembrei-me desta máxima quando ontem li no JN a crónica de Helder Pacheco, "cultura da cidade" e ouvi Germano Silva no lançamento do seu novo livro “Porto, nos lugares da história”. Falava este eminente conhecedor da cidade ao vasto auditório, no museu Soares dos Reis, que a cidade está moribunda e que é preciso injetar-lhe soro. (De certeza que o presidente da câmara não gostaria de ouvir isto). Sugeria pois, para a despertar, que locais emblemáticos do centro histórico, a saber, Largo do Colégio, Moinho de Vento, Coronel Pacheco etc., deviam ser rentabilizados com ações culturais de grupos de teatro e outros como o grupo folclórico do Porto, de quem é padrinho, digo eu.

 

Já Helder Pacheco no JN dizia que “os que falam de decadência cultural da cidade, ou andam distraídos, ou confundem ataque político com achincalhamento do que se procura fazer com os recursos existentes” Para justificar enumerava toda a agenda metropolitana, desde concertos, espetáculos, teatros, exposições etc, toda uma extensa cegarrega de atividades que os departamentos culturais das câmaras são ofertantes. Resta saber se são levados à prática.

Deixo aqui este apontamento aparentemente divergente, ou estarei a ver mal, de dois exímios conhecedores da cidade.

 

 

  (antonio)

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.