Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Pela ruralidade

Antes e depois!...

A freguesia de Fornelos é bastante alcantilada, a maioria dos campos, ou leiras, raramente chegam a meio hectare, mas o mesmo se passa com as restantes freguesias de Cinfães, suportados por socalcos que os nossos antepassados fizeram, eram todos trabalhados sobretudo com milheirais, algum centeio e se recuarmos no tempo com algum linho, e nas bordaduras parreiras ou ramadas de videiras. E agora aqui entra a água que era um bem sobretudo para regar os milhos, como se dizia, alguma rega era feita de noite, bem como os prados, lameiros, pousados como se dizia(leiras de ervas que exigem muita água, onde normalmente havia na poça um engenho que noite e dia a abria quando se enchesse, com a água da nascente).

E era aqui que queria chegar. A condução das águas era feita em regos de terra batida, como se dizia, ainda não havia tubos de PVC. Então a água era conduzida de grandes distâncias como do sítio denominado Chão de Lamas, perto onde existe um marco geodésico, e ia para Cortegaça, um dos lugares da freguesia, ao longo desta distância havia poças que também eram abertas para fortalecer o caudal. Mas também havia água de rega que ia dos limites de Macieira para Vila Viçosa (Arouca), veja-se a distância, em rego de terra batida que ainda pode ser visto em alguns troços. Para que a água chegasse sem problemas ao local de destino havia sempre um  lavrador, normalmente um rapaz,  ao longo do rego para que a água não se perdesse. Foquei aqui estes dois exemplos, mas havia mais. Os mais novos que eventualmente leiam isto poderão pensar que estou aqui a fantasiar, mas os mais maduros podem testemunhar.

Agora está tudo diferente, milheirais foram-se, centeio idem e do linho nem se fala. Havia muito gado vacum, agora nem com subsídios, as feiras quinzenais de Nespereira e Cinfães estavam sempre a abarrotar deste gado, eram acontecimentos aguardados quer pelos lavradores como pelos negociantes que vinham de longes terras.

E para finalizar as aldeias estão com menos gente e a tendência continua em plano inclinado, a natalidade diminuiu, e também a abertura de fronteiras veio arrasar o que cá se produzia.

(Estas memórias são sobretudo para quem conhece os cantos da casa)

Ant.Gonç. (antonio)

 

fotoooooooooooooo.jpg

(feira de Cinfães nos inícios do sec. XX, tirada do site "História de Cinfães")