Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Alto clérigo em apuros IV

Para que se saiba, eu também não alinho em casos de pedofilia, sejam eles praticados por membros da Igreja Católica Apostólica Romana ou por quaisquer membros de qualquer uma das sociedades, por todo esse mundo. Mas, assim de momento e de memória, estou a recordar-me do que se passou com o cónego da Lapa, no Porto, Ferreira dos Santos.

  • Foi ou não foi um caso do género?
  • Verificou-se ou não que não havia uma ponta de razão na acusação?

O que eu reparo é que toda a imprensa se agarra a estes casos como cães. Acho muito bem que tudo seja denunciado. Todavia, agora vai falar o comerciante da imprensa escrita chamado Francisco Rodrigues que, no seu estabelecimento, vendeu tudo quanto era revista e jornal diário. 

  • Porquê?
  • Resposta - O que é preciso é vender papel.

E nos tempos que correm e com a crise que avança, quem tem um olho é rei...

Saudações tripeiros deste vosso amigo Francisco.

Alto clérigo em apuros III

Então vamos nessa com mais umas dicas também em prime time.

 

A fé é que nos salva tenho ouvido dizer.

A fé de Franc. com a bonomia de desculpabilização, respeito, mas não é a minha. Estamos a falar de um alto dignatário da Igreja, que se tinha posto a jeito para suceder ao patriarca  e até foi um dos favoritos para a diocese do Porto. Não se trata do simples pároco da aldeia que tramou o sacristão pondo-lhe dois chifrinhos, a trintona catequista era demasiado roliça de tal modo que o padre que tinha caído de para-quedas na aldeia, entendeu que aquelas curvas eram, (não) um desperdício, mandou às malvas o celibato.

O cêrco que faz a igreja a estes casos que saltam para a ribalta, como o que diz Morujão que "não devem ser feitos julgamentos apressados", diz tudo. Deixa-me a léguas de distância da acreditação dos usos e bons costumes desta igreja.

A Igreja funciona como os partidos políticos. Há cerca de 10 anos quando rebentou o caso Casa Pia com faíscas a rondar um partido, dizia-me um militante bem enfronhado nesse partido:" tu acreditas nisso? São tudo manobras para desacreditar o partido. É tudo uma cabala". Não sei se esse amigo com quem não estou já há uns tempos, emana a mesma opinião. Aqueles que foram suspeitos pertencentes a essa organização política safaram-se in extremis, outros foram dentro ou estão para ir como se sabe.

Casos que têm vindo a público com os clérigos, "humanos" nomeadamente de pedofilia é arripiante. Mas se tudo isso pode ser desculpável, ou antes fechar os olhos ou quase.... eu não alinho.

 

   Ant. Gonç. (antonio)

 

Alto clérigo em apuros II

O meu estimado colega e amigo António disse no seu último artigo que aceitava todos os comentários que quisessem fazer. Eu penso que este tema merece mais do que comentários. Vai daí, atiro-me para a página principal. Em primeiro lugar, de que tema estamos a falar? Da acusação de alegado assédio sexual do bispo Carlos Azevedo.

 

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=29&did=97548 

 

Eu acho que tenho o direito de questionar o seguinte:

  1. Onde é que está a admiração e a novidade?
  2. Não é a Igreja Católica Apostólica Romana constituída por homens?
  3. Não é a carne humana fraca?
  4. É esta a primeira vez que surgem casos destes?
  5. Não está a história da Igreja católica Apostólica Romana recheada destes casos?
  6. Não está a sociedade recheada destes casos?
  7. Sendo a Igreja Católica Apostólica Romana uma Sociedade dentro da sociedade, não está sujeita ao aparecimento de casos de sociedade?
  8. E sendo esta igreja a sociedade que é, não deveria dar outro exemplo? Claro que sim mas....

Não tenho, para já, nada mais a questionar.

Saudações tripeiras deste vosso amigo Francisco.