Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CXLVIII(Esplanadas em palanque)

Rui Moreira na sua crónica  no JN começa assim:

“Os portugueses deixaram de acreditar nos políticos, e nas políticas, e saíram à rua por não conseguirem vislumbrar qualquer luz ao fundo do túnel”.

De facto assim é, o descrédito é total nas instituições. Estava a ler estas tristes verdades e no mesmo jornal vem mais uma vez à estampa as célebres esplanadas em frente ao Piolho na Praça Parada Leitão. Têm que ir abaixo, (esta decisão já tem barbas) mas ninguém sabe quando, diz a notícia. Cá para mim a CMP está a tentar fugir com o cú (rabo será mais simpático) à seringa para dar o tiro de partida. Pudera, a batata é quente pois andaram a fazer, ou permitir, aquilo sem parecer favorável do IPPAR, agora é IGESPAR. Às tantas ainda vão alegar que não têm recursos para a despesa da demolição, mas para a implosão da torre do Aleixo houve, passe a ironia.

Neste país tudo funciona com rolamentos gripados. Então depois de haver uma decisão de demolição nada se faz? Estou a lembrar-me também de casos de justiça em que as decisões não são cumpridas. Indivíduos de peso são condenados e não vão dentro? Um caso de Oeiras é paradigmático. É mesmo um país de faz de conta.

 

 

    (antonio)