Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CXXXVII(Sentinas)

O jardim do Passeio Alegre na Foz do Douro é um dos sítios mais emblemáticos da cidade. Como trabalhei na escola que fica mesmo ali ao lado, quando fui professor, conheço bem aquele local, que foi no passado e continua a ser um dos locais mais in. O belo chafariz, o centenário café Suíço que tem lá no alto o carneiro, imagem de marca, os obeliscos de Nazoni, os centenários sanitários motivo deste post, e o enquadramento arbóreo, são motivos para uma visita, isto para não falar no castelo mesmo ali à mão de semear!...

Ontem passei por lá e necessitei dos serviços desses WC da belle époque.

- Ali é grátis e acolá são 0,20€, elucidou-me o funcionário.

- Faz favor, aqui estão os 20 cêntimos. O zelador como bom servidor da CMP, entrega-me o ticket devidamente numerado e identificado com letras mais ou menos garrafais, SENTINAS 0,20€, CMP, isento de IVA.

Na modernice diz-se WC, que é mais kitsch, e  quartos de banho, mas nos meios rurais emprega-se mais a docilidade de “casinhas”,   já “latrinas” e “retretes” quando o asseio ou comodidade não está subjacente por aí além. Há ainda outros nomes populares que me abstenho de aqui referir, por questão de não baixar a fasquia de uma linguagem aceitável.

À parte toda esta nomenclatura,  à primeira, “Sentinas”, estranha-se mas logo a seguir entranha-se devido ao enquadramento dos “serviços”.

A CMP que tem acabado com vários locais onde os cidadãos se podiam aliviar, nestas “Sentinas” continua a ter as portas abertas e com pessoal zelador quer na parte masculina como na feminina. E ainda bem pois temos ali um ex-libris que é de preservar e mostrar, até para turista ver. Quem não conhecer até poderá pensar que estou aqui a tangar, mas não, aquilo já é histórico.

 

 Ant. Gonç. (antonio)