Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

No meu quintal há sapos

 

Ia eu todo lampeiro ao meu pequeno quintal limpar uns ladrões que estavam a desenvolver-se no cavalo por baixo dos garfos no pessegueiro onde tinha feito um enxerto, quando  deparo, entre a sebe de ivónios, um ser vivo a cavalo noutro. Não perdi tempo, fui buscar a máquina para registar o evento. Já tinha visto no Zoo, macaquitos acavalitados nos adultos e também vi há dias na TV uma nave espacial transportada em cima de um Jumbo, mas sapos não. Não vamos aqui especular dizendo que estariam num acto de procriação, penso que não, neste caso o cavaleiro era de pequeno porte, mas como não sou biólogo deixo isso em aberto. Segundo as minhas pesquisas, sapo a cavalo noutro é sinal de chuva.

Sapos no quintal? Como é que eles foram lá parar se o espaço é todo murado? Ao dar a nova fui logo bombardeado aqui em casa,  perante o aparecimento destes seres vivos que causam certa repulsa a algumas pessoas. A sua utilidade nos espaços verdes está em oposição a estórias rocambolescas que desde a minha infância me enchumbaram a cabeça. Eram maledicências que se atribuíam ao sapo. Ouvia dizer, mas nunca fui protagonista da brincadeira, colocava-se um cigarro aceso na boca do animal, o bicho inspirava o fumo consecutivamente e não expirava de tal modo que ia inchando, inchando e às tantas dava um estoiro!... Houve sempre uma catrefa de superstições à volta do sapo nas quais eu não embarco, mezinhas, cozeduras da boca, bruxarias, etc., e aquelas afrontas: ó fulano vais engolir um sapo!

No meu quintal o ambiente está preservado, respeito a fauna e a flora, vivemos em sã convivência. Só os viscosos caracóis é que não têm a minha simpatia, dão-me cabo das pequenas plantas, e daí trato-lhes da saúde , sou pela biodiversidade, mas... 

 

Parafraseando a cantora Maria Armanda," eu vi um sapo!..." Neste caso dois.

 

  Fiquem bem, Ant. Gonç.(antonio)