Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Pela ruralidade CI - (Ir à missa)

A labuta nos campos estava na ordem do dia, ontem e em todo o tempo passado. Grangear o que a terra dava era a actividade única da povoação que era seguida de pais para filhos. Pelos caminhos embostados era sempre um fervilhar de carros de vacas que dos aidos se dirigiam para os campos.

Mas e ao domingo? A azáfama acalmava, apenas deitar o penso aos gados que nas cortes folgavam também um dia de descanso. Os homens da terra aparatavam-se logo pela manhã, botas de pneu uns, outros de tamancos domingueiros, chamados pelo ribombar dos sinos do campanário, iam-se dirigindo para o adro da Igreja em cavaqueira sobre as lides agrícolas. As mulheres, essas com um lenço de merino pela cabeça, arqueadas e com chinelos rapeiros dirigiam-se, em passo apressado, para dentro do orago e enquanto não chegava a hora da missa iam debulhando o terço entre as mãos calejadas. O soar das três pancadas do sino maior, anunciava a chegada do padre que vinha na montada, mais tarde num joaninha de quatro rodas. Os homens distribuíam-se, uns para o coro e outros para a frente do interior da igreja, (homens à frente e mulheres atrás). O senhor abade, como por lá se dizia, paramenta-se na sacristia enquanto recebe os óbolos das bulas dos paroquianos. Um deles, cumpridor dos seus deveres religiosos até mais não, abeira-se e diz:

- Senhor abade, quero pagar a bula!...

Como já era conhecido do cura, este numa ganância do graveto como o diabo por almas, diz-lhe:

- Ah! Sim… E então o teu filho também deve pagar, ele também tem alguns bens.

Diz-lhe o fervoroso homem de missa:

- Ó senhor abade, ele só tem lá em casa umas galinhitas e não tem muito mais!...

- Ah! Pois, mas também tem de pagar, insistiu o senhor abade materialista quanto basta.

Do desenrolar do ato religioso, já todos sabemos, o cura de costas para os rezantes e aquela lenga lenga em latim que ninguém percebia cheta. Apesar disso a mudança do figurino religioso não foi vista muito bem por muitos. As mudanças de hábitos são sempre numa primeira fase fracturantes. (Actualmente a missa tem outro ritual, mas na saudação aquela cena dos beijos e abraços a mim não me convence).

 

(estória verídica do passado, do meu conhecimento direto. As três personagens referidas já não estão por cá)

 

 

  (antonio)