Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Prendas de Natal

A noite de consoada tinha sido anunciada pelos senhores da meteorologia, fria, muito fria. Lá fora as televisões mostravam os grandes aeroportos da Europa totalmente paralisados e milhares de pessoas encurraladas não podendo chegar a horas ao convívio dos seus familiares na noite mais "in" do ano. À parte essas notícias vindas lá da "estranja" por cá as televisões mostravam jantares de Natal aos mais desfavorecidos ou gente sem família, dados por associações que se dedicam a esta caridade.
Enquanto estes gestos de boa sociabilidade, altos dignitários da Igreja portuguesa não se coibiram de vir às televisões lançar uns anátemas totalmente desenquadrados do dia de consoada. Não gostei.
Gostei sim, das minhas prendas de Natal, não poderia dizer o contrário. Tinha já feito saber que o Natal das prendinhas é sobretudo para a miudagem que fica efusiva com estas coisas que não tive na "chevalisse". Mas se as pessoas não queriam resistir à pressão natalícia, então umas peúgas dão sempre jeito, eram uma coisa útil, simbológica e barata tendo em conta a crise que nos está a bater à porta. Bem, bem, as coisas foram um pouco mais além, mas pronto foram do agrado de quem as ofereceu e também de quem as recebeu. Parece que a força prendada natalícia é mais forte e não seríamos nós, grão de areia no oceano, a contrariar. Melhor prenda seria um gordo bilhete de lotaria premiado? Ou um quatro rodas, último modelo? Talvez sim, talvez não, altas cavalarias não me seduzem, trazem sempre prós e contras, é melhor ficar por um natal sereno.
De certa maneira trazendo à memória os usos e costumes do meu pai, também me prendei, comprei nesta quadra o "Seringador", reportório crítico-jocoso e prognóstico para 2011. Logo nos primeiros dias de Janeiro anuncia vento e trovões. Ventanias e fortes bordoadas no lombo virão no próximo ano e seguintes para o bom povo português. Ver crónica de Freitas Cruz no JN de hoje:

 

  http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?opiniao=Freitas Cruz

(antonio)