Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CV (Que Natal?!...)

Já há muito que cheira a Natal. As luzes natalícias a ornamentar algumas ruas da cidade são anunciadoras da quadra festiva. Nalgumas ruas do Porto, Rua de Santa Catarina dá cartas, o amontoado de gente à procura de alguma pechincha, saldos ainda não, mas rebaixas ou promoções procuram cativar os eventuais clientes, ou simplesmente andar por andar. Nos grandes centros comerciais com os parques de estacionamento a abarrotar pelas costuras é gente a rodos. A partir de 1/01/1911 as coisas vão ser a doer e então o pessoal enquanto o pau vai e vem folgam as costas, gasta os últimos cartuchos antes dos aumentos anunciados nos bens e as rebaixas nos salários.

É nesta febre dita natalícia mas em crise que paro, escuto e olho. Rua Bento de Jesus Caraça, um frio de rachar e um sem abrigo, casa dos trinta, já meu conhecido de vista, estendido numa entrada recuada de um prédio embrulhado em farrapos a passar a noite. Andei uns dias com esta imagem na cabeça, era demais para a minha sensibilidade, tão dura se me apresentou. Um ser humano ali enregelado perante a indiferença dos engravatados!... Depois estendi a minha imaginação e pensei quantos mais sem abrigo haverá pela cidade. A contabilidade parece estar feita, e quantos haverá noutras cidades maiores ou menores, ou por todo o país, não está certo. Sempre assim foi, assim é, e assim será!...

É isto o Natal?

 

(antonio)