Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - CVIII (A Praça da Batalha)

As imagens de há cem anos da Praça da Batalha deixam-nos embebecidos com o glamour da envolvência daquele sítio. O calcetamento de pedra calcárea e basalto na centralidade à volta do pedestal de D. Pedro V era por si só um ex-libris que deveria a todo o custo ser mantido, o que infelizmente assim não aconteceu.

Actualmente a Praça da Batalha está descaracterizada por culpa das intervenções Porto 2001. Não se compreende que razão havia para terem necessidade de mudar meia dúzia de metros para sul o sólido pedestal com a estátua de D. Pedro V. Só para ficar no enfiamento da Rua Augusto Rosa? E assim fic queou descentralizada da citada praça. Não vejo vantagem, antes pelo contrário, além dos custos da intervenção. Mas alterar estátuas parece que foi um dos ferrogodós da Porto 2001. Estou a lembrar-me da estátua equestre de D. João VI ao Castelo do Queijo que foi colocada em cima, como alguém já disse, em cima de uma tábua de dar a ferro. Salvou-se por um triz a estátua equestre de D. Pedro IV na Praça pois queriam dar-lhe uma rotação de 180º. Ainda sobre a Batalha que dizer daquele lago feito de pedra mármore, creio, que desde a construção nunca viu uma pinga de água!... Já antes em intervenções dos anos setenta dois pequenos lagos tinham sido feitos em frente à porta principal do Cinema Batalha e também de água, nicles. Acabaram por os encher de terra e meter lá umas palmeiras, mas tudo isso já foi. Claro que também na Praça da Batalha, canteiros ajardinados vai no Batalha, passe a redundância.

 

(antonio)