Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto - LXXXIII (As mulas do eléctrico)

A cidade do Porto tem sofrido ao longo da sua existência mutações que alguns dirão próprias da evolução, outros vão mais por castrações que a foram desfigurando.
Claro que hoje ninguém põe em causa o belo edifício da Alfandega que veio abafar a zona ribeirinha de Miragaia, bem como a estação de S. Bento que destruiu o convento Avé Maria, isto para falar em dois edifícios paradigmáticos. Já o mesmo não direi do Pavilhão dos Desportos que mudaram o nome para Rosa Mota, este sim, cilindrou o autêntico Palácio de Cristal.
O poder autárquico foi sempre volúvel a interesses de A ou B deixando marginalizado o bem público. E aqui estou a referir-me por exemplo a situações dos nossos dias que é a construção de edifícios sobre ruas ou autênticos peixes espadas, como já por aqui tenho referido, ao lado de moradias do século XIX com traça.
Bem, mas vou agora referir-me a outras intervenções, estas de mais valia como o Parque da Cidade e o Museu do Carro eléctrico. O primeiro é um rico pulmão e o museu dos “amarelos” foi uma preservação de memórias que devemos enaltecer. E quanto a este museu, ando cá com uma fisgada, interrogo-me porque é que o primeiro carro “O americano” era puxado por parelhas de mulas e não por cavalos, éguas, machos ou bestas, não certamente por jericos, pois era muito ferro para tão pouco cabedal. E vai daí à falta de ter à mão um daqueles trutas que sabem da cidade que até chateia, pesquisei nos sites sobre esta temática mas todos se referem a mulas, dizendo até que nas subidas eram utilizadas duas parelhas.
Esta é apenas uma curiosidade de “lana caprina” e certamente não faltará quem me possa aqui elucidar, mas até cheguei agora à conclusão que este animal muar era dos mais utilizados pois recuando uns séculos até a Rainha Mafalda que foi beatificada, deslocava-se numa mula.
 

 

 Fiquem bem, antonio