Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Viajar no tempo

Pelos finais da década de cinquenta do século passado tinha acabado o ensino primário e então havia duas alternativas, ou ficava lá pela terra a ajudar nos trabalhos agrícolas ou ia “estudar”. Bem, a opção familiar foi por esta última até porque havia na família um padre, perfeito no seminário (ainda está por cá), que alvitrou a ida para lá. Tratou-se em casa do enxoval, roupa numerada, eu era o 20, e da mala que se não era de cartão não andaria longe e lá vai o petiz para a longínqua Vila Viçosa. E aqui começa uma viagem com várias trasfegas que hoje à distância me interrogo como é que dei conta do recado!...
O primeiro transporte foi de camioneta do Escamarão, uma “Diamond”(como as memórias da infância ainda estão vivas!) que tinha a particularidade de ter na parte traseira, cozinha como se dizia, dois bancos de napa corridos com uma porta de entrada mas sem comunicação pelo interior para a parte da frente do veículo, para este acesso havia uma outra porta do lado direito à frente. A mala, essa ia na grade do tejadilho com o acesso por escada pela parte de trás, uma cobertura de oleado havia para quando lá em cima o S. Pedro abrisse as torneiras. Essa camioneta não vinha directa para o Porto, havia um transbordo para outra que seguia para a cidade. Na estação de S. Bento tomava o comboio-correio que saía de manhã e chegava a Lisboa a meio da tarde, parava em todas as estações e, cito de memória, tinha uma carruagem cama. Bem, mas o transbordo era feito no Entroncamento onde apanhava outro para a Linha do Leste até Torre das Vargens e depois ainda outro até ao destino final Vila Viçosa. Ah, falta dizer que naquela altura os comboios tinham três classes (1ª, 2ª e 3ª), éramos utentes desta última. Nessas viagens prolongadas eu e mais três correligionários quando íamos acompanhados pelo tal padre ao cair da noite rezávamos o terço por sugestão do dito.
Resta dizer que da clausura disciplinar do seminário não trouxe grandes recordações, ao fim do terceiro ano como não tinha jeito para aquilo foi-me sugerido outro caminho.

 

  (A velha "Diamond" era idêntica à da imagem)
 

  (antonio)