Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Escola em risco - V

Cá para mim o Ministério da Educação e a DREN em particular devem ter cá um pó às Novas Tecnologias que têm posto a nu o que vai pelas escolas.

No caso da berlinda que se passou numa sala de aula da Escola do Cêrco do Porto a coisa tinha ficado abafada tal como no Carolina Micaelis mas alguém registou a cena e mandou para o ar, e ainda bem digo eu.

Tudo na maior, a professora até é porreira, os alunos até parece que não são dos piores e até a DREN encarou com alguma bonomia, laxismo irritante direi eu.

Tudo isto vem acontecendo desde que foi retirado aos poucos o tapete da autoridade ao professor.

Sejam ou não brincadeiras de mau gosto, a escola não as pode admitir, há que restabelecer a dignidade com as distâncias necessárias entre professores, funcionários e alunos.

E o que me parece e me deixa perplexo é que os professores vão cedendo, cedendo às irreverências dos alunos, para não dizer outra coisa,  até para não terem chatices!... Ora bolas!

 

  PS: Agora também eu vou brincar. Vocês já ouviram, eu já, gente de status nomeadamente senhores deputados, mas estes não são exemplo para ninguém, em cavaqueira jornalística sobre as suas vidas lembrar as malandrices que fizeram na escola ao professor tal, quando eram ganapos!...

Bem, os meus amigos também já ouviram Belmiro de Azevedo falar pela positiva do seu antigo professor primário. E também já me ouviram a mim aqui no blogue frisar o respeitinho que eu e os meus colegas tinhamos à professora.

Bem, se a actual bandalheira é consentida, até porque foi uma brincadeira, eu vou ali e já venho.

 

   (antonio)

Afinal era uma brincadeira...

Afinal, tudo não passou de uma brincadeira. Afinal, tudo isto não passa de uma brincadeira. Até era uma pistola de plástico, pois claro... Eu ouvi hoje, com estes dois que a terra há-de comer, a palavra BRINCADEIRA da boca de duas pessoas que, no meu modesto entendimento, nunca deveriam pronunciar essa palavra enquanto se estivessem a referir àquele incidente, a saber, directora regional de educação e representante da plataforma sindical. Em contrapartida, gostei da reprovação implícita que li nas entrelinhas do que ouvi da boca do representante da confederação de associações de pais. Estranho, também, o silêncio que este caso teria merecido por parte do conselho executivo do estabelecimento. E quantos casos já se terão passado naquele mesmo estabelecimento que não mereceram tratamento pela direcção regional? Ai não teve conhecimento...E o que está lá a fazer o conselho executivo? Ai têm medo...Sabem que mais? Espero para ver onde isto vai parar. É que não vai ficar por aqui, podem crer. Estou triste, muito triste mesmo com tudo isto. Nunca pensei que isto batesse tão fundo como bateu. Tenhamos esperança. Saudações natalícias do Francisco.