Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Olhar o Porto

Do Palácio a Massarelos foi o passeio à cidade hoje, orientado por Germano Silva sob o patrocínio da revista Visão.
O Porto desconhecido foi virado do avesso por um grupo de gente ávida por palmilhar, ruas, ruelas, becos, escadas, quintas, ribeiros, fontes (já cohecíamos a fonte da colher em Miragaia, agora também em Massrelos a fonte do caquinho), fontanários e bicas. Tudo carregado de história naquele alcantilado até Massarelos. Nomes sugestivos como Rua dos Moinhos, da Boa Viagem e da Fonte de Massarelos, Viela José da Mestra, Rua do Casal do Pedro, Rua Campo do Rou, etc. A razão destes nomes foram-nos sendo explicados até ao limite dos seus conhecimentos, e são muitos sobre a cidade, por Germano Silva.
Toda aquela zona foi desenvolvida à sombra dos ingleses e pelos mareantes, senhores dos navios e por ali havia o grande estaleiro no areal de Massarelos e Miragaia. É ainda hoje densamente arborizada com espécies de árvores exóticas, legados que nos chegaram em resquícios de quintas que até ver ainda não foram alvo da especulação imobiliária. No entanto na R. de D. Pedro V já se vêm lá grandes gruas sobranceiras à Rua dos Moinhos e ao Ribeiro de Vilar que podem deitar por terra em parte o que atrás refiro.
A religiosidade estava bastante enraizada, a profusão de capelas e nichos de santos assim denunciam. O oráculo Senhor dos Navegantes na rua com o mesmo nome era local de culto a quando das aflições dos homens do mar. A manutenção deste sítio é carinhosamente feita por uma senhora idosa da zona já que quer a Junta de freguesia e a Igreja terem-se posto ao largo!...
E assim se levantou hoje, para nós, mais um bocado do véu sobre o Porto desconhecido, para a semana há mais!...

 

PS: Numa altura em que as televisões alienam o povo  com a selecção portuguesa (o governo esfrega as mãos de contente, faz esquecer o plano inclinado para o fosso), que bem me soube estar ausente do ecrãn nesta manhã soalheira sendo para mim uma mais valia. Não pertenço àquele naipe de ofegantes para quem a mística do futebol está à flor da pele.
 

(Na imagem, Rua de Vilar o antigo e o moderno...)

   Fiquem bem, antonio