Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Pela ruralidade

A minha sogra a bater os noventa mas ainda com uma agilidade que faz inveja a muitos de sessenta é muito da igreja e falou-nos se queríamos ir ao Santuário de Balsamão em Trás-os-Montes, ela já conhecia. O grupo formado a partir de praticantes da paróquia de Campanhã onde me englobei, partiu no domingo da Praça da Corujeira. Chovia p´ra caraças pela manhã mas a tarde ficou radiosa.

O santuário de Balsamão fica no cimo duma colina no concelho de Macedo de Cavaleiros com uma vista deslumbrante sobre a envolvência de úberes vales cobertos de oliveiras  e amendoeiras. O santuário em si nada tem de especial a não ser construções recentes, terão 20, 30 anos, pertença do convento que foram encostadas à igreja. É uma dor de alma que estes atropelos ao bom gosto e à preservação do antigo façam parte deste Portugal pequenino. A televisão “Aljazira” do Catar há dias disse cobras e lagartos sobre a corrupção que campea em Lisboa, eles se fossem por esse Portugal fora ficavam atónitos com atentados ao ambiente!

Depois seguimos para Alfândega da Fé ao santuário de Cerejais. Aqui vamos encontrar uma basílica feita por um padre megalómano, octogenário mas de fibra, e que faz questão de ser cicerone dos excursionistas. Segundo indaguei é um padre bastante rico em propriedades na região e com poder. Quis fazer naquela pequena terra uma réplica de Fátima em Trás-os-Montes, assim sendo as imagens quer na basílica, capelas e nos espaços abertos são todas alusivas à Cova da Iria.  Fala com convicção com orgulho e muita auto estima sobre esta obra que foi inaugurada pelo Cardeal D. António Ribeiro, frisa. Adianta depois, que não sei quantos, cardeais e bispos já por lá passaram e que admiraram o carrilhão que toca muitas melodias, o órgão que até o bispo de Bragança gostou e mandou fazer um igual, os vitrais da basílica feitos por arquitecto alemão, o anjo feito por um escultor estrangeiro com madeira de cedro do Brasil que é duma perfeição rara… etc, etc. O padre que é um filho da terra enche a boca do cimo do pedestal a dizer que num domingo passado estiveram lá 50 autocarros para ver as amendoeiras em flor e a sua obra.

Seguimos depois por Vila Flor até Mirandela onde jantamos, mas não comemos nem compramos alheiras! O IP4 trouxe-nos ao Porto.

Fiquem bem, antonio

Conhecer melhor a cidade do Porto

      Não há, de facto, razões para não conhecer melhor a cidade do Porto. Ninguém tem desculpa para não aprofundar os seus conhecimentos sobre a cidade do Porto. É só escolher entre os Passeios JN com o historiador Germano Silva e os Passeios da Câmara Municipal do Porto com o Dr. Hélder Pacheco ou com o Dr. Júlio Couto. Saudações tripeiras do Francisco.