Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Pela ruralidade

Eu ando à cuca… Como vou frequentemente à terra que me viu nascer estou sempre na expectativa de o ouvir cantar. As andorinhas tinham chegado este ano muito cedo, meados de Fevereiro, como já por aqui abordei, sintomas de maus augúrios das alterações climáticas. Mas do cuco, nada. Dizia-me o meu vizinho lá da terra que no ano passado por esta altura já tinha chegado, só andava lá um e que este ano até pode já não aparecer nenhum.
Bem, queira Deus que o ditado antigo não se cumpra, dizia o meu vizinho parafraseando os antigos, atento a estas coisas da natureza:
“Se entre Março e Abril ele não aparecer ou o cuco se finou ou o fim do mundo chegou” e ainda “Se a sua vinda se atrasa anuncia males”.
A chegada do cuco com o seu cantar característico é vista no meio rural num dobrar de novo ciclo nos trabalhos agrícolas. Assim, as podas das árvores sobretudo das videiras têm de estar prontas antes da chegada do cuco. É uma desconsideração para um lavrador andar ainda na poda e o cuco a cantar. O seu canto é sentido como uma troça aos atrasados na podadura.
A importância sazonal que tem a chegada do cuco para a gente do meio rural reflecte-se também no status social que era ter um relógio com um cuco a espreitar a dar as horas, cuu-cu, cuu-cu!
Comecei esta pequena crónica dizendo que andava à cuca do cuco. No meio social e político há por aí muitos cucos e cucas, fazem a criação, leia-se riqueza, sem esforço tal como esta matreira ave que sorrateiramente encarrega outros, toutinegra e carriça, da criação dos filhos. Se me permitem continuar com o trocadilho, em Angola mandei abaixo muitas cucas, algumas pretas, estou a falar de cerveja, bruxo, pois o calor era muito!

PS: Tinha já há dias esta crónica gravada no Word. Ontem fui à minha aldeia, encontrei o meu vizinho que me disse que o cuco chegou na passada sexta-feira mas que o seu cantar é um bocado rouco. O cuco vem gripado, atalha com um sorriso o meu vizinho. Eu não o ouvi, pois esteve um dia de muita chuva e o cuco só canta quando aparece uma resseca segundo a sabedoria ancestral do meu comparsa.

 

Fiquem bem, antonio