Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Ecos da Escola

Há sempre histórias da vida que são transversais a todas as profissões. Muitas já nós as ouvimos a outros mais velhos que as contam com vivacidade memorial.

A vida de professor também é fértil nos mais variados cambiantes. Se quando estávamos no activo, na rotina do dia a dia quase não lhe damos importância, já na situação de reformado vamos buscá-las e dar-lhe um enquadramento recordativo. Vamos então ver onde quero chegar. Um meu aluno de condições modestas tinha algumas dificuldades na aprendizagem curricular, no entanto era um aficcionado, tal como o pai, do FCP. Assim, sempre que havia jogo nas Antas lá estava o rapaz, não sei se entrava no estádio ou se ficava cá fora a cheirar a envolvência futebolística. Um dia, na sala de aula, num trabalho de redacção o aluno tinha escrito "estádio das Zantas". Tentei corrigir-lhe o erro:

- Ó António olha que é "estádio das Antas", assim é que é. Mas replicou-me:

- Não, não é, porque eu vou lá ao futebol e oiço no alti-falante "estádio das Zantas"

Bem, depois de algumas insistências da minha parte e da perplexão do aluno o diferendo só ficou sanado no dia seguinte quando levei para a sala um jornal desportivo que em letras garrafais dava uma notícia futebolística no "Estádio das Antas". Aí António acatou e compreendeu a ortografia correcta.

(Estou agora a pensar alto, se na altura me entrasse um inspector na sala ou um alto quadro do actual Ministério da Educação poderia dizer ou pensar que o malandrião do prof. ia para a sala ler os jornais desportivos!.... Estariam enganadinhos, pois notícias do futebol não é o meu forte).

 

   Fiquem bem, antonio