Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

Magistério6971

Os autores deste jornal virtual apresentam a todos os visitantes os seus mais cordiais cumprimentos. Será bem-vindo quem vier por bem.

INFORMAÇÃO

Foi com satisfação acrescida que constatamos a vitória saborosa com votação expressiva do nosso colega José Manuel Pereira Pinto à C.M. Cinfães - 3º mandato. Na minha terra, que também é do P. Pinto, diz-se: "fez um bonito".

Um xi para vocês e parabéns ao José Manuel.

antónio

CURIOSIDADE

Embora a grande maioria dos meus caros amigos(as) já tenham as botas arrumadas, Franc. ainda não mas está quase, no entanto gostaria de aqui deixar uma curiosidade saída na “Escola Portuguesa” em 17 de Maio de 1961. Assim era a pergunta de um consulente:
“Qual o número de crianças que levam uma escola à suspensão?
R. A cada núcleo de população em que haja 35 a 40 crianças em idade escolar deve corresponder um lugar do quadro geral – artº 1º do decreto nº 20181, de 7-VIII-1931. Portanto, se a frequência for inferior a 35 alunos, a escola poderá ser suspensa”
Actualmente só com menos de 10 alunos é que as escolas poderão ser encerradas como é do conhecimento.

Um xi para vocês, antónio

...

“NOTA DA SEMANA

CONTINUAM AS TERRAS DE ANGOLA A SER ABRASADAS PELO ARDOR DO SOL E PELO FOGO DO ÓDIO DESENCADEADO PELAS FORÇAS DO MAL À SOLTA PELO MUNDO, E PARA ALI DIRIGIDAS PELOS VENTOS DE CATÁSTROFE QUE SOPRAM DO ORIENTE, CALCINADO PELO COMUNISMO DIALÉTICO.
AO MESMO TEMPO, EM TODA A TERRA PORTUGUESA, DO MINHO E TRÁS-OS-MONTES AO ALGARVE E DO FUNCHAL À ÍNDIA E A TIMOR, CONTINUA A VERIFICAR-SE UMA CRUZADA DE AMOR E PAZ, A SUAVIZAR OS SOFRIMENTOS DAS VÍTIMAS DOS TERRORISTAS.
AS CRIANÇAS DAS ESCOLAS, INTEGRADAS NESSE MOVIMENTO ADMIRÁVEL DE DEDICAÇÃO PATRIÓTICA E DE SOLIDARIEDADE PARA COM OS NOSSOS IRMÃOS ANGOLANOS, VÃO, NESTE MÊS, JUNTO DA SENHORA DO ROSÁRIO, NA COVA DA IRIA, SUPLICAR-LHE A PAZ PARA PORTUGAL, UNO NAS ALMAS E ÍNTEGRO EM TODO O SEU TERRITÓRIO.
FÁTIMA, QUE É HOJE ALTAR DO MUNDO, POR ESPECIAL DEFERÊNCIA DA VIRGEM PARA CONNOSCO, VAI SER AGORA, AINDA COM MAIS RAZÃO, O ALTAR DONDE SUBIRÃO AO TRONO DE DEUS AS SÚPLICAS QUE ELE NÃO PODE DEIXAR DE OUVIR, PORQUE APRESENTADAS PELA RAINHA DO CÉU E PADROEIRA DE PORTUGAL, SUA MÃE.
E TODOS SEREMOS COM AS CRIANÇAS DAS NOSSAS ESCOLAS EM FÁTIMA, POR DEUS, POR ANGOLA E POR PORTUGAL.”

(Esta era a Nota da Semana da “Escola Portuguesa” de 17 de Maio de 1961, mais tarde após o 25 de Abril de 1974 passou a designar-se “Escola Democrática”)

Edifício da ex-E.M.P.Porto

Escola do Magisterio 007.jpg
Esta é a frontaria que faz gaveto com a R. Alegria e a Rampa da Esc. Normal.
Actualmente, como se pode visualizar, funciona ali a Esc. Superior de Música e das Artes do Espectáculo. Era aqui a entrada dos rapazes, lembram-se?

Escola do Magisterio 003.jpg
A Escola Normal do Porto, (ex-Escola do Magistério Primário) foi integrada no Instituto Politécnico do Porto em 1986.

Instalada, em finais do século XIX (1883) em edifício próprio, para esse efeito mandado construir pela Monarquia, entre a Rua da Alegria e a Rampa da Escola Normal – edifício classificado como património arquitectónico do Porto – foi constituindo, desde o seu início, uma considerável biblioteca que, felizmente, chegou até nós num razoável estado de conservação.

Esta biblioteca, designada por Berud, atendendo à sua natureza dominante de biblioteca erudita, foi desactivada em 1974, antes da extinção da Escola do Magistério Primário, data em que se criou na Escola uma nova biblioteca/centro de documentação que posteriormente foi integrada na biblioteca da Escola Superior de Educação do IPP.

O HEROI

Naquele dia 16 de Dezembro de 2004 o infractor estacionou a padiola circulante em local indevido na Rua da Alegria no Porto. A resultante foi a apresentação de um cartão de "cumprimentos" no para-brisas.
O cidadão em pleno uso dos seus deveres cívicos apresenta-se na Polícia Municipal para liquidar de imediato a factura. Mas a coisa não é assim tão linear. Passaram-lhe uma minuta da coima que depois iria liquidar, não lá, mas nos CTT ou multibanco. Assim:
- Em 22/12/2004 o cívico liquidou por multibanco a coima de 30 Euros, mas por lapso digitou 300 E. E aqui começa a saga...
- Em 23/12/2004 solicita à Direcção Viação do Norte a devolução do excesso, enviando fotocópias da coima e do talão do multibanco - tudo em carta registada com aviso de recepção, não fosse o diabo tecê-las.
- Em 26/03/2005 solicita resposta ao que responderam para enviar os documentos, que aliás já tinha enviado, o que fez de imediato.
- Em 27/07/2005 novamente o paciente cidadão pede a devolução do seu dinheirinho e, até hoje, nada na manga!...

"Quando tem um assunto a tratar com o Estado, o cidadão despede-se da família, faz testamento, encomenda a alma e parte desenganado" (Manuel António Pina - JN)

Moral da história: o heroi é um tanso!... E quem é o heroi?!...

(Um xi para vocês do heroi)

Que beleza de jardim!...

avenida dos aliados.jpg
Será, meus caros amigos(as), que vocês acreditam que todo este conjunto harmonioso vai ser substituído por pavimento de cubos de granito maldando às malvas os canteiros ajardinados e os belos desenhos de calcáreo e basalto?!
Não dá mesmo para entender...

CIVILIDADE

Aliados.jpg
Versando este espaço sobre temas relacionados com as nossas vivências passadas na E.M.P.Porto e posteriores, pode e deve ter também uma intervenção cívica num âmbito mais alargado.
Assim, aos links que o Francisco nos facultou sobre temas que poderão ser uteis aos meus caros amigos(as), sugeria que também dessem uma espreitadela ao site http://avenida-dos-aliados-porto.blogspot.com/
Numa altura em que os valores da nossa sociedade parecem andar de rastos alia-se agora também a destruição de ex-libris da baixa portuense - refiro-me à substiuição da bela calçada portuguesa com seus magníficos desenhos em calcáreo e basalto por cinzentos cubos de granito.
Até nestas acções continuamos a ser governados com pobreza!...

Um xi para vocês, antónio